Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A obsessão pela cloroquina, o fim de Regina na Cultura e os improvisos de Covas

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Chegamos ao nosso episódio 40! Infelizmente nada a comemorar nesta edição. No episódio de hoje do podcast BRP Chama, nossos editores Vera Magalhães e Marcelo de Moraes analisam principais fatos da semana, como a saída de Regina Duarte da Secretaria da Cultura. O balanço é negativo, e o vídeo de sua saída divulgado nas redes sociais do presidente Jair Bolsonaro foi a cereja do bolo.

Para Marcelo de Moraes, faltam pessoas que entendam de políticas públicas à frente dos cargos e que quem sai perdendo, como pontuou Vera em sua análise no BRP, é o setor da cultura: “a Cultura que lute.” Marcelo também vê a sequência de demissões como uma prova da interferência de Bolsonaro, quando estão sendo demitidos aqueles que “não estão na mesma cartilha” que o presidente.

Marcelo também comenta a presença de 13 militares no Ministério da Saúde e o protocolo da cloroquina, enquanto a curva de casos e mortes por covid-19 não para de ascender e o Brasil alcança a terrível marca de mil mortes por dia. Vera lamenta que a articulação entre Poderes para combater o coronavírus não seja possível por causa das diferenças ideológicas entre governadores e o presidente da República.

Nossa editora também comenta as atrapalhadas do governo do Estado e da cidade de São Paulo e os perigos que o “feriadão” paulista pode trazer. Bruno Covas e sua equipe estão “metendo os pés entre as mãos”. Marcelo de Moraes “ressalta a guerra de narrativas” em que se transformou o combate ao coronavírus. Entre cloroquina, Itubaínas e “milagre coronavírus”, salve-se quem puder.

Tudo o que sabemos sobre:

podcastbrpchama