Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Operações da PF, a reabertura (precoce?) em SP e a Saúde sem comando

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

No episódio desta semana do podcast BRP Chama, nossos editores, Vera Magalhães e Marcelo de Moraes, analisam os principais fatos ocorridos até aqui desta semana, como a operação contra o governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel, e a operação que mira em adversários e aliados do presidente Jair Bolsonaro no inquérito das fake news do Supremo.

A operação contra Wilson, desafeto do presidente, foi deflagrada justamente após as trocas de Bolsonaro na Superintendência da PF no RJ e do ministro da Justiça. A fala da ministra Damares na reunião ministerial do dia 22, sobre desejo de prender governadores governadores e prefeitos, e a antecipação da operação ‘Placebo’ pela deputada Carla Zambelli acedem um alerta sobre a investigação.

E o inquérito das fakes news conduzido pelo ministro Alexandre de Moraes pode ser comemorado como algo positivo? Não é um inquérito 100% transparente e foi questionada pelo próprio MP. Responder um arbítrio com outro? A repercussão contra o Supremo é um movimento natural daqueles que estão sendo investigados, mas serve pra piorar ainda mais o clima político do Brasil. A tensão está no ar e o foco do governo não está no coronavírus.

Sobre medidas contra a pandemia, existe uma linha lógica entre a decisão do Estado de São Paulo de discutir lockdown em uma semana e na outra, implantar uma reabertura e flexibilização do isolamento? Uma decisão pautada pela pressão política e econômica. E quais serão as consequências para o Estado e para a cidade que são o epicentro do coronavírus no Brasil? Ouça: