Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

PSL em chamas enquanto mudança eleitoral no olho do eleitor é refresco

Alexandra Martins

Rodrigo Maia, quem diria, todo paladino das reformas e garantidor da democracia, mas encampou o projeto de mudanças das normas eleitorais que só não criou mais resistência porque foi votado no apagar das luzes na Câmara dos Deputados. Os editores do BRP Vera Magalhães e Marcelo de Moraes analisam nesta nova edição do BRP Chama a lambança que não sabemos ainda como acaba. O relator  Weverton Rocha (PDT-MA), em entrevista ao repórter Gustavo Zucchi, se defende dizendo que lá no Senado “ninguém preparou esse projeto” e que nem é candidato a nada, como vários deputados lá da Casa legislativa vizinha interessados em aumentar o fundo eleitoral e afrouxar os mecanismos de controle e transparência da prestação de contas dos partidos.

O final countdown (sim, você vai ouvir trecho da música do Europe neste podcast) dentro do governo e do PSL parece aquela festa que acaba de começar e já tem quem reclame que o garçom nunca passa ou que, quando passa, a bebida vem quente, não é, Marcelo de Mores? Até ressuscitaram Olavo de Carvalho com um tal de cadastro dos bolsonaristas fieis. A senadora Juíza Selma já pulou para o Podemos, não contem com o nome dela. No Rio, o pega para capar da legenda é de Flávio Bolsonaro com o governador Wilson Witzel, pré-candidato a inquilino do Palácio da Alvorada. O Zero Um quer todos os deputados do PSL fora do alcance de visão do chefe do Guanabara. No acostamento dessa avenida central em chamas, ficam só Luciano Huck, João Doria, Amoêdo aguardando a temperatura abaixar.

O sinal, por enquanto, está verde para o presidente Jair Bolsonaro brilhar com seu discurso na abertura da Assembleia-Geral da ONU no próximo dia 24, em Nova York. Se não quiser pagar mico, vai ter de escolher a via do pragmatismo na defesa da Amazônia – é o que você ouve neste podcast.

 

 

Tudo o que sabemos sobre:

PSLONUFlávio Bolsonaro