Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Fio BRP: Relembre 12 polêmicas do governo Bolsonaro ‘já esquecidas’ em 2019

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

Estamos na contagem regressiva para o fim de 2019. Neste primeiro ano de governo, o novo ocupante do Planalto e sua equipe criaram polêmicas em ritmo nunca antes visto no País. Antes do apagar das luzes, listamos aqui 12 polêmicas do governo que provavelmente já foram esquecidas – mas não deveriam.

Posse presidencial de Jair Bolsonaro em 1 de janeiro Foto: Wilton Júnior/Estadão

Janeiro: Ministra Damares Alves diz: “Menino veste azul e menina veste rosa”

Era apenas 3 de janeiro e a ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos já causava uma das principais polêmicas e memes do governo. Em vídeo publicado nas redes sociais ela afirmara que “na nova era”, menino veste azul e menina veste rosa”.

Fevereiro: MEC envia carta às escolas pedindo que crianças sejam filmadas durante execução do hino nacional

“Prezados Diretores, pedimos que, no primeiro dia da volta às aulas, seja lida a carta que segue em anexo nesta mensagem, de autoria do Ministro da Educação, Professor Ricardo Vélez Rodríguez, para professores, alunos e demais funcionários da escola, com todos perfilados diante da bandeira do Brasil (se houver) e que seja executado o hino nacional”, dizia a mensagem.

Março: Após postar vídeo com pornografia, Bolsonaro pergunta o que é “golden shower”

Na última noite do Carnaval de 2019, o presidente Jair Bolsonaro em sua conta no Twitter, divulgou um vídeo pornográfico e escatológico para dizer que esse tipo de prática é generalizada nos festejos carnavalescos do País. A postagem foi uma espécie de resposta de Bolsonaro aos protestos feitos contra ele nos blocos, com gritos de guerra, xingamentos, vaias e sátiras. Na sequência, diante da repercussão da postagem do presidente, em que um homem aparece urinando na cabeça de outro, Bolsonaro perguntou às redes: “O que é golden shower?”.

Abril: No Memorial do Holocausto, Bolsonaro diz que nazismo era de esquerda

O presidente disse concordar com o chanceler Ernesto Araújo em relação à avaliação de que o nazismo foi um movimento de esquerda. “Não há dúvida”, resumiu a jornalistas na época.

Maio:  Bolsonaro sobre estudantes que protestam: “são uns idiotas úteis, uns imbecis”

Diretamente de Dallas, nos EUA, o presidente Jair Bolsonaro afirmou que estudantes que, no Brasil, estavam protestando contra o corte de verbas para a Educação eram “massa de manobra” e “idiotas úteis”.

Junho: Militar da Aeronáutica que levava cocaína em avião da FAB é preso pela polícia da Espanha

39 quilos de cocaína foram encontrados em um avião da FAB que fazia parte da comitiva que acompanha a viagem do presidente Jair Bolsonaro a Osaka, no Japão. Na ocasião, o sargento Manoel da Silva Rodrigues foi preso na Espanha.

Julho: Para Bolsonaro, “passar fome no Brasil é uma grande mentira”

Em café da manha com jornalistas estrangeiros, o presidente da República afirmou que não há fome no Brasil. O argumento usado foi o de que “não se vê gente, mesmo pobre, pelas ruas, com físico esquelético”.

Agosto: Fazer cocô dia sim, dia não, vai melhorar o meio ambiente, propõe Bolsonaro

Ao ser questionado se é possível conciliar desenvolvimento com defesa do meio ambiente, durante entrevista coletiva na saída do Palácio da Alvorada, Bolsonaro foi irônico ao dizer que “é lógico que sim (crescimento com preservação). É só você deixar de comer menos um pouquinho. Quando se fala em poluição ambiental, é só você fazer cocô dia sim, dia não, que melhora bastante a nossa vida também, tá certo?”

Setembro: Bolsonaro tira sarro de desempregado que o admira: “só pelo bafo não vai ter emprego”

Também em frente ao Palácio da Alvorada, o presidente foi flagrado comentando em tom de deboche um dos pedidos de ajuda que recebeu de um apoiador. Um homem disse ao presidente que quer ajudar a “colocar o Brasil no top do turismo”. Na sequência, ele pede novamente ajuda ao presidente. “Turismo, me ajuda, Bolsonaro. Por favor, vai dar tudo certo”. Bolsonaro, então, após atender o pedido para tirar as fotos, vira para um de seus seguranças e comenta: “Só pelo bafo não vai ter emprego”.

Outubro: Conta oficial do presidente no Twitter publica vídeo do leão x hienas

Representando a si próprio como um leão, Bolsonaro aparece cercado por hienas. Os animais são identificados como diversas instituições e movimentos, entre eles o STF, a ONU e o PSL, seu antigo partido. Logo após a publicação, cerca de duas horas depois, o vídeo foi apagado da conta do presidente.

Novembro: Weintraub defende a monarquia e ataca a proclamação

No dia do feriado, pelas redes sociais, o ministro da Educação afirmou que a Proclamação da República foi “o primeiro golpe de Estado no Brasil”. Por meio de uma sequência de tuítes, o auxiliar do presidente Bolsonaro criticou as comemorações pelo fim da monarquia.

Dezembro: Bolsonaro diz que repórter tem cara de homossexual

Irritado e em tom agressivo, ao ser questionado por jornalistas sobre o caso Queiroz, o presidente Bolsonaro deu a seguinte sequência de respostas: “Oh rapaz, pergunta para a tua mãe o comprovante que ela deu para o teu pai, tá certo?”, disse. “Querem comprovante de tudo”. “Você tem uma cara de homossexual terrível, nem por isso eu te acuso de ser homossexual. Se bem que não é crime ser homossexual”, disse o presidente.

Tudo o que sabemos sobre:

governoJair Bolsonaropolêmicas2019