Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Justiça libera interrogatório de Aécio

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Em atendimento ao Ministério Público de Minas Gerais, o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes liberou o interrogatório do deputado federal Aécio Neves (PSDB-MG) no âmbito da investigação sobre superfaturamento na construção da Cidade Administrativa. Na decisão, o ministro determinou que a Vara de Inquéritos Policiais de Belo Horizonte instaure procedimento para apurar “eventual extravio” de mídias relacionadas a delações que citam o tucano.

O processo diz respeito à construção da sede do executivo mineiro no período em que Aécio foi governador de Minas Gerais. Em maio, o tucano e outras onze pessoas foram indiciadas em maio pela Polícia Federal por corrupção, desvio de recursos públicos e falsidade ideológica esquema de superfaturamento nas obras entre 2007 e 2010.

No início do mês, Moraes havia adiado o interrogatório de Aécio, em atendimento a um pedido do deputado, que alegou ainda não ter ciência do conteúdo de delações incluídas nos processos ligados ao inquérito. O pedido é de autoria do procurador-geral de Justiça. Segundo ele, o uso do expediente por parte da defesa de Aécio tem o propósito único de atrasar o encerramento da apuração, uma vez que o reclamante fundamenta seu pedido na obtenção de documentos que não estão em poder da autoridade policial no inquérito.

O conteúdo referido envolve as delações do empreiteiro Marcelo Dias, da Santa Bárbara Engenharia, e José Ricardo Nogueira Breghirolli, apontado como chefe do departamento de propinas da OAS.

Na avaliação de Moraes, é inconteste que tanto a defesa quanto o Ministério Público tenham tido acesso aos autos do inquérito policial e que a ausência das mídias citadas pela defesa de Aécio “não tem condão de paralisar” as investigações.