Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Moreira Franco diz que tirar Huawei do edital de 5G ‘atrasa’ e ‘encarece’ o processo

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ex-ministro de Minas e Energia Moreira Franco comemorou nesta quinta-feira, 3, a manutenção da empresa chinesa de tecnologia Huawei na proposta da Anatel com regras para o edital do leilão do 5G no Brasil. A informação foi revelada pela Folha. Ele afirmou que “tirar a chinesa da disputa atrasa e encarece” a implementação da estrutura do 5G no País.

Na avaliação do político, qualquer decisão diferente “será política e ideologia”. Em meio à guerra comercial de EUA e China, o governo brasileiro vem sendo pressionado pelas duas potências.

Dentro do governo, os ministros Augusto Heleno, do Gabinete de Segurança Institucional (GSI), e o chanceler Ernesto Araújo são as principais vozes defensoras do banimento da empresa da China do edital. Este ano, o presidente americano, Donald Trump, chegou a falar abertamente que está em campanha contra os chineses em relação ao 5G. Do outro lado, o vice-presidente Hamilton Mourão é defensor da Huawei.

“Técnicos da Anatel finalizam edital do 5G sem banir Huawei. Qqr decisão p/ leilão diferente será política e principalmente ideológica. Tirar chinesa da disputa atrasa e encarece infraestrutura do 5G, aumenta $ p/ consumidor e judicializa questão. Isto ñ interessa aos brasileiros”, escreveu Moreira Franco no Twitter.

Tudo o que sabemos sobre:

huawei5GChinaMoreira Francoedital