Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

‘A Constituição tornou o País ingovernável’, avalia Ricardo Barros

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Ao defender a realização de um plebiscito para reformar a Constituição de 1988, a exemplo do ocorrido no Chile no fim de semana, o líder do governo na Câmara, Ricardo Barros (PP-PR), avaliou que o problema da governabilidade no Brasil está na Carta. “A Constituição tornou o país ingovernável, como disse o (José) Sarney. Devemos fazer um plebiscito, como fez o Chile. É hora de repensar. Reformar a Constituição, que não está dando condições de governar a longo prazo”, afirmou ele nesta segunda, 26, durante uma live promovida pela ABDConst. Seria, segundo ele, uma “Carta que só tem direitos”.

O líder do governo na Câmara Ricardo Barros (PP-PR)

O líder do governo na Câmara Ricardo Barros (PP-PR) Foto: Michel Jesus/Câmara dos Deputados

O Estado gasta mais do que arrecada, reclamou, e não haveria brechas para mudanças tributárias “porque o cidadão não tem condições de pagar mais impostos”, relacionou. “Os juros da dívida não são pagos há muitos dias. A dívida só é rolada”, continuou.

O plebiscito defendido por Barros também deveria consultar a população sobre o regime político brasileiro na tentativa de implantar o parlamentarismo no lugar do presidencialismo, “pois ajudaria o país a enfrentar as crises de maneira menos traumática”. Em 1993, a população brasileira disse não ao parlamentarismo.