Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A crescente influência evangélica no Planalto

Equipe BR Político

Cada vez mais parece que o presidente Jair Bolsonaro estenderá a mão para parlamentares evangélicos. Revindicações da bancada religiosa do Congresso têm sido ouvida nas mais diversas frentes do governo, como na política internacional e na reforma tributária. Nos três primeiros meses de mandato, Bolsonaro teve 12 audiências com parlamentares ligados à religião. Em maio foram 18 compromissos e em agosto o número chegou a 17, segundo reportagem do Estadão deste domingo. A retribuição ao tratamento pode ser visto nas votações do Congresso, onde 90% dos votos evangélicos acompanharam o governo.

Em compensação, o plano inicial de Jair Bolsonaro durante a campanha presidencial de governar com as bancadas temáticas foi por água abaixo, como mostra reportagem da Folha. Tirando os evangélicos, os ruralistas e a bancada da bala, as outras frentes parlamentares perderam força e dificilmente tem alguma relevância na tomada de decisões dos parlamentares.

Tudo o que sabemos sobre:

evangélicosJair Bolsonaro