Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A ‘lei da mordaça’ dos juízes

José Fucs

Os juízes e desembargadores estão proibidos de usar as redes sociais, incluindo grupos de WhatsApp, para declarar apoio a políticos e fazer ataques pessoais a candidatos ou partidos com o objetivo de descredenciá-los, de acordo com resolução publicada na quarta-feira, 13, pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ).

Segundo reportagem deste sábado do Estadão, os magistrados também devem evitar, nos perfis pessoais, “pronunciamentos oficiais sobre casos em que atuaram” e “publicações que possam ser interpretadas como discriminatórias de raça, gênero, condição física, orientação sexual, religiosa e de outros direitos”. O documento permite, porém, críticas públicas a “ideias, ideologias, projetos legislativos, programas de governo ou medidas econômicas. / J.F.

Tudo o que sabemos sobre:

CNJjuízesdesembargadores