Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A mesada de Cabral

Vera Magalhães

O aparentemente interminável propinoduto de Sérgio Cabral alimentou também um generoso esquema de “mesadas” do ex-governador do Rio para assessores, políticos, familiares e aliados. O delator Carlos Miranda detalhou o esquema de repasses, que atingia do motorista ao vice, Luiz Pezão. Os detalhes revelados por ele estão em reportagem do jornal O Globo deste domingo.

Segundo a delação, Pezão recebia nesse esquema de mesadas R$ 150 mil, contra um salário mensal de R$ 18 mil. A informação ajudou a embasar a prisão do governador.