Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A Opinião do Estadão: A inovação em involução

Equipe BR Político

“Seguindo sua série de mensurações sobre o desenvolvimento nacional rumo aos 17 Objetivos do Desenvolvimento Sustentável da ONU para 2030, o Instituto de Pesquisas Econômicas Aplicadas (Ipea) publicou o estudo Construir Infraestruturas Resilientes, Promover a Industrialização Inclusiva e Sustentável, e Fomentar a Inovação – O que mostra o retrato do Brasil? E o que mostra é desanimador. O quadro geral é de estagnação, com involução em alguns setores-chave e um ou outro avanço digno de nota. Mais desalentador é o fato de que essas tendências regressivas já estavam presentes antes da recessão. Ademais, boa parte dos dados cotejados só cobre até o ano de 2016, o que permite inferir que de lá para cá certas dinâmicas negativas se agravaram.

O caso mais crítico diz respeito à meta sobre a industrialização inclusiva e sustentável. No caso do Brasil, ela foi especificada de modo a priorizar o aumento da produtividade, a geração de emprego e a elevação do PIB. Na prática, o movimento do País segue na direção oposta. Entre 2010 e 2016, o valor adicionado da indústria de transformação em proporção ao PIB caiu de 12,7% para 10,6%. No mesmo período, o valor adicionado per capita encolheu de R$ 2.592,00 para R$ 2.057,00. Enquanto a remuneração média dos empregados, incluindo setores como serviços, aumentou, para os empregados das indústrias ela ficou estável”, diz trecho de editorial do Estadão desta quarta, 7.

Tudo o que sabemos sobre:

ONUPIB