Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A Opinião do Estadão: A insegurança do direito

Equipe BR Político

“Nove dias depois de o Tribunal Regional Federal (TRF) da 3.ª Região ter cassado uma liminar que suspendia a formalização do acordo entre a Boeing e a Embraer, e que havia sido pedida por deputados do PT sob a justificativa de que o negócio fere a soberania nacional, a primeira instância da Justiça Federal voltou a conceder outra liminar. Desta vez, ela foi pedida pela Confederação Nacional dos Trabalhadores Metalúrgicos e por sindicatos da categoria nas cidades onde a Embraer mantém fábricas, como São José dos Campos e Gavião Peixoto. A justificativa foi a defesa dos “interesses da sociedade”. O detalhe é que as duas liminares foram concedidas por um mesmo juiz, Victorio Giuzio Neto, da 24.ª Vara Federal Cível de São Paulo”, diz trecho de editorial do Estadão neste sábado, 22.

Tudo o que sabemos sobre:

TRF-3boeingembraer