Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A Opinião do Estadão: A requalificação da construção

Equipe BR Político

“Segundo o Tribunal de Contas da União, no Brasil há mais de 14 mil obras paralisadas, totalizando R$ 144 bilhões em recursos. Além de problemas crônicos, como vícios de contratação e de planejamento, essas paralisações se devem à crise econômica e fiscal. Mais de 75% dessas obras foram iniciadas após 2013 e a frequência de paralisações se intensificou a partir de 2014. Entre 2012 e 2018, os investimentos em construção caíram de 12,7% do PIB para 7,9%. Para sanar esse déficit em obras de desenvolvimento urbano, infraestrutura e outras, será necessário investir na próxima década 9,3% do PIB projetado para o período. A estimativa consta do estudo Obras paradas da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) (Acesse aqui).

Não seria um esforço inédito nem díspar em relação aos padrões internacionais. Na década de 1970, o Brasil investiu 12,4% do PIB em obras e instalações e na década de 80, 14,8%. Em 2017, a média da OCDE foi de 10,1%, e em países em condições similares, como Chile ou México, foi, respectivamente, de 12,7% e de 12,2%.”

Diz trecho de editorial do Estadão deste sábado, 7.

Tudo o que sabemos sobre:

TCU