Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A Opinião do Estadão: Brexit, a novela

Equipe BR Político

“A enrascada em que o ex-premiê David Cameron colocou os britânicos em 2016 – ao convocar um plebiscito sobre a saída do Reino Unido da União Europeia (UE) – já levou à queda de dois primeiros-ministros: o próprio Cameron e sua sucessora, Theresa May. Não será surpresa que, nos próximos dias, o Brexit também custe o cargo do conservador Boris Johnson, atual ocupante do número 10 de Downing Street.

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson anda em direção à reunião do G-7

O primeiro-ministro britânico Boris Johnson. Foto: Ludovic Marin/AFP

Um Johnson bastante resoluto assumiu a chefia de governo no final de julho disposto a renegociar os termos do acordo de saída firmado por sua antecessora e as lideranças europeias em Bruxelas, que não admitem novas rodadas de negociação, ou, no limite, seguir o cronograma de saída e levar o Reino Unido para fora da UE, “com ou sem acordo”, no dia 31 de outubro.”

Diz trecho de editorial do Estadão desta quinta-feira, 5.