Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A Opinião do Estadão: Cuidar da segurança externa

Equipe BR Político

“Com dólares de sobra para cobrir a dívida externa e a balança comercial ainda no azul, o Brasil continua blindado contra choques, mas é preciso dar atenção a alguns sinais de alerta. As contas ficaram menos folgadas neste ano, as exportações perdem vigor, o cenário global permanece nublado e as projeções do comércio para 2020 são pouco otimistas. Neste ano o buraco nas transações correntes chegou a US$ 45,05 bilhões até novembro, com aumento de 27,18% em relação à marca de um ano antes. A piora resultou principalmente da redução do superávit comercial – uma queda de 26,39%, de US$ 47,07 bilhões para US$ 34,65 bilhões. Investidores e analistas costumam acompanhar com atenção as transações correntes, um importante indicador de segurança. Essas transações incluem três contas: a balança do comércio de bens, a de serviços e a de rendas. Geralmente no azul, o saldo comercial contrabalança em parte os déficits das duas outras contas. Também por isso é preciso seguir com cuidado o comércio de bens.”

Diz trecho de editorial do Estadão neste domingo, 22.

Tudo o que sabemos sobre:

Editorial Estadão