Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A PF e a fissura entre Moro e Bolsonaro

Equipe BR Político

Já era sabido que a troca na superintendência da PF realmente criou uma fissura entre o presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça e Segurança. E ao que tudo indica, isso ainda não foi superado e o ministro segue sob pressão. Nesta quarta-feira, 4, Moro abandonou uma entrevista coletiva sem responder a perguntas sobre se haverá uma troca no comando da Polícia Federal.

O presidente Jair Bolsonaro e o ministro da Justiça Sergio Moro

Foto: Dida Sampaio/Estadão

Na semana passada, o ex-juiz defendeu o diretor-geral, Maurício Valeixo. Afirmou que ele tem realizando um trabalho “extraordinário”, ao mesmo tempo que defendeu o presidente Jair Bolsonaro, que vinha sendo alvo de críticos que apontavam o afastamento dele das pautas de combate à corrupção que marcaram a campanha eleitoral.

Antes de protagonizar a cena que selou a reaproximação entre os dois, no entanto, como mostra o Estadão, na última quinta-feira, 29, Moro e Bolsonaro tiveram uma dura conversa que teve a PF como um dos motivos. Segundo interlocutores dos dois lados, o encontro quase resultou na saída de Moro do governo.

Depois disso, os dois desceram juntos a rampa que dá acesso à sala de eventos do Palácio do Planalto e trocaram elogios.

À Folha, Bolsonaro indicou que a obsessão por mudanças na PF ainda não está superada. O presidente afirmou que já conversou com o ministro sobre mudança no comando da PF e “está tudo acertado com o Moro, ele pode trocar (o diretor-geral, Maurício Valeixo) quando quiser”, disse.