Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘A pior coisa que Bolsonaro pode fazer é alegar suspeição do decano’, diz Janaina

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Na esteira das revelações feitas pela divulgação do vídeo da reunião ministerial de 22 de abril, a deputada estadual Janaina Paschoal (PSL-SP) usou o Twitter na manhã desta segunda-fera, 25, para dizer que a pior coisa que o presidente Jair Bolsonaro pode fazer neste momento é “alegar suspeição do ministro Celso de Mello” ou, pior ainda, segunda a parlamentar, “seguir com a insanidade de que a divulgação do vídeo seria abuso de autoridade”. O decano é o relator do inquérito que apura se houve interferência política do presidente em investigações da Polícia Federal.

A deputada estadual Janaina Paschoal

A deputada estadual Janaina Paschoal Foto: José Antonio Teixeira/Alesp

Uma publicação feita ontem pelo presidente foi apontada como um recado à Corte. Nas redes sociais, o presidente publicou o seguinte trecho da lei de abuso de autoridade: “Art. 28. Divulgar gravação ou trecho de gravação sem relação com a prova que se pretenda produzir, expondo a intimidade ou a vida privada ou ferindo a honra ou a imagem do investiga ou acusado: pena – detenção de 1 (um) a 4 (quatro) anos”.

Na avaliação da parlamentar, a divulgação do vídeo é favorável ao presidente. “Se não fosse divulgado, todos seguiríamos imaginando as maiores ilicitudes. Não tem crime no vídeo…”, escreveu Janaina. Por isso, ela argumenta, permanecer no ataque vai abrir a possibilidade para “achar alguma coisa” contra o presidente. “Norma não falta para enquadrar quem precisa ser enquadrado”, escreveu.

Publicações da deputada estadual Janaina Paschoal

Publicações da deputada estadual Janaina Paschoal Foto: Reprodução/Twitter