Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A sangria dos sindicatos patronais

José Fucs

Com o fim do imposto sindical, não foram só os sindicatos de trabalhadores que foram a lona. As entidades patronais também estão com os cofres vazios. Segundo reportagem do Estadão,  a outrora poderosa Fiesp, que congrega os industriais paulistas, registrou uma perda nas contribuições de 85%, de R$ 16,9 bilhões em 2017, quase tudo arrecadado no início do ano, para R$ 2,4 bilhões em 2018.

Desde a aprovação da reforma trabalhista, muitas sindicatos patronais de menor porte já abriram mão de sede própria, recorreram a demissões de pessoal, cortes de viagens e de despesas com solenidades. A Fiesp reduziu em 20% seu quadro de funcionários. / J.F.