Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A vingança contra o PT de Lula

Equipe BR Político

A escolha de Augusto Aras para a Procuradoria-Geral da República é só mais um elemento na lista de práticas do governo de como o bolsonarismo vem derrubando o lavajatismo, aponta a colunista Eliane Cantanhêde neste domingo, 8, no Estadão. Mas a militância do presidente está mais preocupada se Aras é esquerdista ou não, sem considerar que seu “padrinho” é o ex-deputado Alberto Fraga, líder da bancada da bala e com forte ascendência sobre o Palácio do Planalto. O escolhido, diz a colunista, não vai se meter com direitos humanos, minorias, questões comportamentais nem “tomar decisões absurdas, nem atuar em permanente confronto”.

O subprocurador Augusto Aras, indicado para assumir a Procuradoria-Geral da República pelo presidente Bolsonaro

O subprocurador Augusto Aras, indicado para assumir a Procuradoria-Geral da República pelo presidente Bolsonaro. Foto: Dida Sampaio/Estadão

“É assim, com um PGR daqui, lei contra autoridades dali, Moro de escanteio, empurrão no Coaf, na Receita e na PF que a era Bolsonaro vai, na prática, vingando o PT e Lula. Se o “lavajatismo” (como diz Gilmar Mendes) derrubou o petismo, o bolsonarismo está derrubando o “lavajatismo”. Os “heróis de Curitiba” ficaram falando sozinhos. Ou nem tanto?”, conclui.