Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

A volta de Aras ao páreo, com novos padrinhos

Vera Magalhães

Exclusivo para assinantes

A volta de Augusto Aras como um dos mais cotados para assumir a Procuradoria-Geral da República foi construída por ele de forma paciente. Nos últimos dez dias, ele esteve com Jair Bolsonaro três vezes. Também buscou apoios nos demais Poderes, inclusive entre atores que tinham defendido outros candidatos antes, e se aproximou da base bolsonarista do PSL.

O subprocurador Augusto Aras, cotado por Bolsonaro para assumir a Procuradoria-Geral da República

O subprocurador Augusto Aras. Foto: Dida Sampaio/Estadão

Ele se aproximou de Rodrigo Maia, Davi Alcolumbre e do presidente do STF, Dias Toffoli. Teve uma reunião conjunta com os presidentes da Câmara e do Senado, ambas na terça-feira. Maia vinha trabalhando pesado pela recondução de Raquel Dodge (o que levou inclusive a uma reação interna de procuradores que entregaram cargos de confiança em protesto), e Toffoli nos últimos dias trabalhava por Paulo Gonet. Mas todos receberam Aras e ouviram bem suas ponderações.

Bolsonaro deve anunciar antes os vetos à Lei de Abuso de Autoridade nesta quinta-feira e, só então, o nome para a PGR.