Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Aborto é mais que necessário, é recomendado’, diz Mourão sobre caso no ES

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

“Em casos como esse o aborto é mais que necessário, é recomendado”, defendeu o vice-presidente Hamilton Mourão em entrevista à BBC Brasilem referência ao caso da criança de 10 anos de idade que ficou grávida após ser estuprada pelo tio no Espírito Santo. Os abusos começaram quando a menina ainda tinha seis anos.

O vice-presidente Hamilton Mourão

O vice-presidente Hamilton Mourão Foto: Valter Campanato/Agência Brasil

“Esse é um crime que foi cometido contra esta criança. O nosso Código Penal é claro, em casos como esse o aborto é mais que necessário, é recomendado. Como é que uma menina de 10 anos de idade vai ter um filho e vai criar um filho? Isso é um absurdo”, disse. Na última segunda-feira, 17, a menina foi submetida a um aborto legal, em Recife.

No domingo, enquanto a vítima de abuso sexual era encaminhada ao hospital, seus dados pessoais, que estavam sob sigilo, foram divulgados nas redes sociais, onde começou uma campanha de conservadores contra o procedimento.

Sobre isso, Mourão disse: “Agora, há algumas pessoas que, na sua ânsia da defesa da vida, elas têm que compreender que cada caso é um caso, e este é um caso muito claro onde a lei tem que ser cumprida. Para mim é simples isso aí”.

Essa não é a primeira vez em que o vice-presidente defende o aborto como uma decisão pessoal das mulheres e uma questão de saúde pública. À época, em entrevista ao Globo, Mourão disse: “Doenças sexualmente transmissíveis são uma questão de saúde pública. A questão do aborto também é algo que tem que ser bem discutido, porque você tem aquele aborto onde a pessoa foi estuprada, ou a pessoa não tem condições de manter aquele filho. Então talvez aí a mulher teria que ter a liberdade de chegar e dizer ‘preciso fazer um aborto'”. Ele completou dizendo que sua opinião como cidadão, não como membro do governo, é de que essa “se trata de uma decisão da pessoa”.