Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Aéreas anunciam corte de salário e licença não remunerada

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Setor ameaçado pela pandemia do coronavírus, assim como vários, as companhias aéreas anunciam desde ontem o corte de jornada – e, por consequência, de salário – de até 50% e licença não remunerada a seus empregados. Na Gol, todos os diretores, vice-presidentes e o CEO terão uma redução salarial de 40%, válida para os meses de abril, maio e junho, informa o Estadão. Já a jornada dos colaboradores internos e aeroviários será reduzida em 35%, assim como as remunerações e benefícios. Na Azul, haverá licença não remunerada – com 600 pedidos aprovados até o momento – e redução de salário de 25% dos membros do comitê executivo até a normalização da situação. A empresa anunciou corte da sua capacidade consolidada de 20% a 25% no mês de março, e entre 35% a 50% em abril e meses seguintes, até que a situação se normalize. Na Latam, o corte no salário dos empregados pode chegar a 50% para os próximos três meses.

Cortes de salário são anunciados por empresas aéreas

Cortes de salário são anunciados por empresas aéreas Foto: Hélvio Romero/Estadão