Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Alcolumbre contra resistência de senadores

Equipe BR Político

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), tenta negociar um acordo para adiantar em 13 dias e votar o primeiro turno da reforma da Previdência na próxima quarta-feira, 11, no plenário, conforme disse ontem. Para isso, no entanto, ele vai precisar vencer a resistência de parte dos parlamentares.

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), conversa sobre reforma da Previdência em seu gabinete

O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP). Foto: Dida Sampaio/Estadão

“Alguns senadores ainda não estão convencidos disso, mas a gente vai conversar com eles para tentar fazer, dar celeridade a esse processo”, disse o presidente do Senado, segundo o Broadcast Político.

O relatório do senador Tasso Jereissati (PSDB-CE) foi aprovado na quarta-feira, 4, pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Com mudanças, a economia fiscal prevista quando o texto foi aprovado na Câmara, que era de R$ 933,5 bilhões em dez anos foi para R$ 870,5 bilhões.

A PEC paralela, por sua vez, que prevê a inclusão de Estados e municípios na reforma e compensa a desidratação do texto principal, ainda não tem calendário definido. Alcolumbre declarou estar “trabalhando” para que a proposta seja votada em 2019.