Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Alerj abre impeachment de Wilson Witzel

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro abriu oficialmente um processo de impeachment contra o governador do Estado, Wilson Witzel. Na tarde desta quarta-feira, 10, a maioria dos parlamentares votou simbolicamente para que o processo fosse aberto. A decisão caberia inicialmente ao presidente da Casa, André Ceciliano (PT), mas foi submetida ao plenário como forma de mostrar “unidade” na Alerj.

O primeiro passo é formação de uma comissão especial para analisar o pedido. A base dos pedidos contra Witzel são as denúncias de desvios na Saúde do Rio durante a pandemia de coronavírus. A comissão especial terá a obrigação de elaborar um relatório, após investigar e ouvir a defesa do governador fluminense. O relatório será apreciado pelo plenário da Alerj. Ali, Witzel tem uma base frágil, com seu partido, o PSC, tendo apenas quatro deputados. Apenas cinco parlamentares são considerados governistas.

Com 36 votos favoráveis, o governador é afastado do mandato. O parecer final é dado por uma nova comissão, formada por cinco deputados estaduais e cinco desembargadores sorteados do Tribunal de Justiça do Rio. O grupo é presidido pelo presidente do TJ-RJ.

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel

O governador do Rio de Janeiro, Wilson Witzel Foto: Adriano Machado/Reuters

Na última terça-feira, Wilson Witzel sinalizou que quer baixar armas diante do clã Bolsonaro. Nos últimos meses, o governador passou de aliado para “persona non grata” do bolsonarismo. Os ataques se intensificaram ante a pandemia de coronavírus, na qual Witzel tomou uma posição contrária ao presidente da República

Tudo o que sabemos sobre:

Wilson WitzelimpeachmentRio de Janeiro