Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Alerj aprova admissão do processo de impeachment de Witzel

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Por 69 votos a favor e nenhum contra, a Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) aprovou o encaminhamento do processo de impeachment do governador afastado Wilson Witzel ao Tribunal de Justiça do Estado. O TJ-RJ será agora notificado para oficializar o afastamento e, então, formar com a Alerj um tribunal misto para avaliar a cassação. Esse colegiado será composto de cinco desembargadores e cinco deputados estaduais.

“O que tem acontecido é algo absolutamente injusto. Não tive o direito de falar nem na Assembleia nem nos tribunais. Estou sendo linchado moralmente, linchado politicamente, sem direito de defesa”, afirmou o ex-magistrado durante a sessão.

Witzel citou o caso do ex-presidente Fernando Collor ao iniciar sua defesa. “Eu tenho exemplos de erros que a história não pode reparar. O presidente Collor foi vítima de um impeachment. Em 2014 ele foi absolvido. A frase dele no senado foi: “Quem poderá me devolver o que me tiraram?”.

O governador afastado apontou dedo aos colegas. “A porta sempre esteve aberta, mas quantos sentaram comigo? poucos estiveram lá. Se eu fui omisso, todos os senhores são omissos”.

Na semana passada, o governador afastado perdeu por 24 a 0 a votação na comissão especial que analisou o parecer produzido pelo relator, deputado Rodrigo Bacellar (SD). Antes, quando o processo foi aberto pela Casa, a derrota também foi por unanimidade: 69 votos favoráveis e nenhum contrário. Em ambos os casos, houve apenas uma ausência.

Tudo o que sabemos sobre:

Wilson Witzel