Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Alerj solta deputados acusados de receber ‘mensalinho’

Equipe BR Político

A Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro (Alerj) decidiu soltar, depois de votação feita nesta terça-feira, 22, cinco deputados estaduais presos no âmbito da Lava Jato no Estado, pela PF em ação nomeada como Operação Furna da Onça. Por placar de 39 a 25 votos, foi aprovada resolução que libera André Correa (DEM), Chiquinho da Mangueira (PSC) Luiz Martins (PDT) Marcus Vinicius Neskau (PTB) e Marcos Abrahão (Avante). Acusados de receber “mensalinho” durante os governos dos emedebistas Sérgio Cabral e Luiz Fernando Pezão, os parlamentares ainda cumprem prisão preventiva.

Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro

Alerj. Foto: Tânia Rêgo/Agência Brasil

A votação da Alerj ocorre após decisão da ministra do Supremo Tribunal Federal, Cármen Lúcia. Três dos cinco deputados contemplados pela determinação entraram com recurso na Corte reivindicando que seus casos fossem analisados pela Assembleia. Os outros dois parlamentares foram inclusos pela própria Casa, para evitar desgaste num futuro próximo, já que eles provavelmente também entrariam com recurso.

Agora, a Assembleia deve encaminhar ofício ao Tribunal Regional Federal da 2ª Região, para informar da decisão. A ação não suspende, contudo, a tramitação dos processos na Justiça. Os deputados que votaram o mérito também deixaram claro que a soltura não implica que os réus assumam os mandatos. Esses cinco parlamentares foram reeleitos antes da prisão e chegaram a tomar posse na cadeia, mas a Justiça não reconheceu a legitimidade dos mandatos.