Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Aliados e oposição repudiam fala do filho de Bolsonaro

Equipe BR Político

A declaração de Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre a possibilidade de um novo AI-5 como resposta a uma suposta “radicalização” da esquerda uniu partidos aliados e da oposição em reações de repúdio à fala. Cidadania, Novo, DEM emitiram notas enquanto Rede e PSOL prometem acionar o STF contra o filho do presidente da República. Segundo o deputado Ivan Valente (PSOL-SP), o partido vai pedir a “imediata” cassação do parlamentar no Conselho de Ética da Câmara dos Deputados.

Aliados do presidente do PSL, Luciano Bivar, aproveitaram o ensejo para reforçar críticas contra o desafeto. “Repudiamos qualquer tentativa de golpe. O primeiro golpe foi tentar tomar o PSL, o segundo foi usar o Palácio do Planalto para tomar a liderança do partido e agora flerta com um novo AI-5 para instaurar uma ditadura no País”, afirmou Júnior Bozzella (SP).

O senador Major Olimpio (PSL-SP) divulgou um vídeo questionando a declaração de Eduardo. “Acho lamentável no dia de hoje discutir ato semelhante ao AI-5 de 1968”, afirmou. “Como um parlamentar vai defender o fechamento do Congresso?”.

Janaina Paschoal (PSL-SP) afirmou à BBC Brasil que “pensar em qualquer retrocesso, como um Ato Institucional, me parece completamente descabido”.

Tudo o que sabemos sobre:

Eduardo Bolsonaro