Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Aliança pelo Brasil não consegue precisar apoios já coletados

Cassia Miranda

A tesoureira do Aliança pelo Brasil, Karina Kufa, afirmou que não é possível precisar número de assinaturas já coletadas para apoiar a criação do novo partido que o presidente Jair Bolsonaro tenta pôr em pé. Pelo Twitter, na manhã desta segunda-feira, 17, ela afirmou que a imprecisão de deve pelo fato de, no meio do caminho, ter havido uma mudança na metodologia adotada.

Foto: Tiago Queiroz/Estadão

“Não conseguimos precisar porque o trabalho foi descentralizado. Antes tínhamos apenas uma caixa postal em SP e as inscrições começavam pelo site”, escreveu. Segundo ela, uma iniciativa popular mudou o sistema: “Começaram a coletar as assinaturas, formando grupos e se colocando como voluntários. Alguns passaram a coletar as fichas manualmente, sem passagem pelo site, o que validamos”, justificou.

A advogada disse crer que o Aliança já tem as assinaturas necessárias, 492 mil, para ser criado. “Acredito que já temos fichas suficientes para a capacidade eleitoral do partido, mas não podemos parar com a coleta porque somente teremos certeza após o julgamento no TSE”, escreveu Kufa.