Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Alta no preço da carne veio para ficar?

Equipe BR Político

O principal fato que influenciou a alta nos preços da carne bovina – que, em São Paulo, cresceu 35% em apenas um mês – é o aumento no volume da proteína nacional exportada para a China. Como informa o Globo, os rebanhos suínos no país asiático foram reduzidos quase pela metade após a febre suína africana. Assim, com menos proteína suína, os chineses passaram a importar mais carnes, em geral. Para o pecuarista brasileiro, vender para a China, que paga em dólar, vale mais do que vender para o mercado interno, o que reduz a oferta interna e encarece a carne para os brasileiros.

Para Roberto Dumas, professor de Economia Internacional do Ibmec-SP, essa situação não deve mudar tão cedo. Segundo ele, o aumento da demanda chinesa e, portanto, do preço da carne para os brasileiros, veio para ficar. “O aumento do consumo dos chineses, com alta da renda dos trabalhadores, é estrutural. E se a China não produz para a demanda interna, acaba importando do agronegócio brasileiro. Isso veio para ficar. O que a China abateu de suínos deve ser recuperado só daqui a cinco ou seis anos”, diz.