Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Alvim: Bolsonaro disse para fazer Cultura que não destrua a juventude

Marcelo de Moraes

Exclusivo para assinantes

O polêmico secretário especial de Cultura, Roberto Alvim, foi um dos participantes da sessão solene de hoje da Câmara, que festejou o Dia de Combate à Corrupção. A sessão acabou se tornando uma grande homenagem ao ministro da Justiça, Sérgio Moro. E, no seu discurso, Alvim também bateu bumbo para Moro dizendo que “a ação de salvar a Cultura só é possível graças ao trabalho imensurável do ministro Sérgio Moro”.

Alvim causou mais surpresa ao revelar a conversa que o presidente Jair Bolsonaro teve com ele quando o escolheu para comandar a Cultura. “Quando o presidente Jair Bolsonaro me convidou para assumir a pasta da Cultura no seu governo, ele me disse uma frase que me marcou profundamente. Ele disse: Alvim, faça uma Cultura que não destrua a juventude, mas que salve”.

Antes disso, o secretário dissera que a ação de Moro era “crucial na reconstrução dos nossos valores”. “Valores que enobreçam o povo brasileiro, valores que redignifiquem o nosso País. Valores esses tão vilipendiados, tão massacrados nas últimas décadas”, afirmou.