Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Amanhã, Covas acompanhará o voto de FHC e Doria

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Ao longo da campanha eleitoral, o prefeito de São Paulo, Bruno Covas (PSDB), que busca a reeleição, foi acusado por seus adversários de esconder o partido e o seu principal padrinho político, o governador João Doria. No domingo, 15, no entanto, em gesto político ao partido, Covas acompanhará o voto do ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB) e do chefe do Executivo paulista.

O candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB)

O candidato à reeleição em São Paulo, Bruno Covas (PSDB) Foto: Patrícia Cruz

A mensagem que os tucanos pretendem passar é de que estão unidos para vencer no segundo turno. O prefeito começará o dia com um café da manhã na residência da ex-prefeita Marta Suplicy (sem partido), que assumiu a missão de reunir apoios para Covas entre personalidades e lideranças.

Reta final

Hoje, no último dia de campanha de rua, o prefeito participou em Pinheiros de um ato ao lado do tio, o vereador Mário Covas Neto, candidato do Podemos. “A coligação que eu represento se chama ‘Todos por São Paulo’. Esses três – Marta, FHC e Doria – mostram exatamente isso, a ampliação de esforços”, disse Covas, de acordo com informações do Estadão.

 

Tudo o que sabemos sobre:

PSDBBruno CovasFHCJoão Doria