Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Amigos, amigos; negócios inclusos

Vera Magalhães

Diz o ditado popular que “amigos, amigos; negócios à parte”. A julgar pelo saldo da viagem de Jair Bolsonaro aos Estados Unidos, nem sempre. O apoio incondicional do brasileiro a Donald Trump pode, no fim das contas, resultar em conquistas inéditas para o Brasil, caso se confirme em ações o entusiasmo da retórica dos dois presidentes. Falei sobre os potenciais ganhos na minha coluna do Estadão nesta quarta-feira.

Para o coordenador do curso de Relações Internacionais da FGV, Matias Spektor, pesquisador do histórico de reuniões presidenciais, os ganhos superam em muito os obtidos por Fernando Henrique Cardoso, Lula e Dilma Rousseff de, respectivamente, Bill Clinton, George W. Bush e Barack Obama. Ele destaca principalmente o acordo para o uso comercial da base de Alcântara, a concessão ao Brasil do status de aliado preferencial extra-Otan e o apoio norte-americano ao ingresso do Brasil na OCDE, o chamado “clube dos ricos”. / Vera Magalhães