Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Anistia de dívidas do Funrural pode ser ‘pedalada’

Equipe BR Político

Apesar de o perdão das dívidas do agronegócio com o Fundo de Assistência ao Trabalhador Rural (Funrural), na casa de R$ 17 bilhões, ser uma promessa de campanha do presidente da República, o Ministério da Economia e a Advocacia-Geral da União alertaram o Palácio do Planalto a não cumpri-la, informa o Valor, porque veem risco de crime de responsabilidade fiscal. Até o o secretário de Assuntos Fundiários do Ministério da Agricultura, Luiz Antônio Nabhan Garcia, ligado ao setor, utiliza o argumento de que uma decisão favorável à quitação dos débitos poderia basear um pedido de afastamento do presidente.

“O presidente não vai se precipitar para agradar o setor e incorrer numa situação que pode até implicar pedido de impeachment”, afirmou ele à publicação. Integrantes da Frente Parlamentar da Agropecuária, no entanto, aguardam uma reunião com Jair Bolsonaro, mas já avisaram que será preciso encontrar uma solução para o que chamam de “injustiça”. A renúncia dos R$ 17 bilhões sem contar com orçamento equivalente em caixa, diz o jornal, poderia ser considerada “pedalada fiscal”, segundo uma fonte da pasta de Paulo Guedes citada pelo Valor.

Tudo o que sabemos sobre:

funruralFPAAgronegócio