Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Anistia Internacional pede proteção a indígenas após ‘ataques’ do governo

Gustavo Zucchi

Exclusivo para assinantes

A Anistia Internacional emitiu uma nota pedindo “defesa” de comunidades indígenas após “ataques” feitos pelo governo de Jair Bolsonaro. A entidade lembra a recente “denúncia” do ministro Augusto Heleno (GSI) contra a Articulação dos Povos Indígenas (APIB) e o discurso de Bolsonaro na ONU, culpando comunidades pelas queimadas na região amazônica.

“Os discursos e as práticas de altas autoridades do Estado brasileiro culpabilizando organizações não governamentais, perseguindo movimentos sociais, criminalizando defensores de direitos humanos e lideranças indígenas e enfraquecendo órgãos ambientais e a FUNAI são muito problemáticos e revelam a deterioração dos direitos humanos no Brasil”, afirmou a diretora-executiva da Anistia Internacional, Jurema Werneck.

“Ao se posicionar criminalizando essas populações, as acusando de crime de lesa pátria e mencionando a Lei de Segurança Nacional, o governo federal trata os críticos às suas políticas ambientais como inimigos”, completa. Na última semana, o ministro-chefe do Gabinete de Segurança Institucional acusou a índia Sonia Guajajara, diretora da APIB,  de estar em um complô com o ator Leonardo DiCaprio contra o governo federal brasileiro. Já Bolsonaro  disse na ONU que as queimadas são causadas por comunidades indígenas e quilombolas, que tacam fogo na mata para sua agricultura de subsistência.

Tudo o que sabemos sobre:

Anistia InternacionalÍndios