Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

ANJ condena ‘censura’ que impede exibição de documentos sobre Flávio

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

A Associação Nacional dos Jornais (ANJ) se manifestou sobre a decisão de Justiça de impedir que a Rede Globo exiba documentos relacionados a investigação sobre “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) envolvendo o nome do senador Flávio Bolsonaro. A entidade classificou a ação como “censura” e disse esperar que a decisão tomada pela juíza Cristina Serra Feijo, da 33ª Vara Cível do Tribunal de Justiça do Rio, seja revogada.

Qualquer tipo de censura é terminantemente vedada pela Constituição e, além de atentar contra a liberdade de imprensa, cerceia o direito da sociedade de ser livremente informada”, diz a ANJ na nota. “A ANJ espera que a decisão inconstitucional da juíza seja logo revogada pelo próprio Poder Judiciário.”

Confira a nota na íntegra:

A Associação Nacional de Jornais (ANJ) protesta contra a censura imposta pela juíza Cristina Serra Feijó à divulgação de informações relacionadas ao esquema de “rachadinhas” na Assembleia Legislativa do Rio de Janeiro.

Qualquer tipo de censura é terminantemente vedada pela Constituição e, além de atentar contra a liberdade de imprensa, cerceia o direito da sociedade de ser livremente informada. Isso é ainda mais grave quando se tratam de informações de evidente interesse público.

A ANJ espera que a decisão inconstitucional da juíza seja logo revogada pelo próprio Poder Judiciário.

Brasília, 4 de setembro de 2020

Associação Nacional de Jornais

 

Tudo o que sabemos sobre:

Flávio BolsonaroANJrachadinhasAlerj