Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Marcelo de Moraes

Após encontro com Lula, Ciro diz estar aberto ao diálogo

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Sem citar o nome do ex-presidente Lula, o virtual presidenciável Ciro Gomes (PDT-CE) escreveu no Twitter nesta quinta, 29, que se sente “obrigado” a construir um “diálogo possível” com quem for possível para “proteger” o Brasil. Isso na esteira da repercussão política gerada após a revelação de seu encontro em setembro com o petista, contra quem intensifica críticas sempre e quando é possível no contexto da eleição presidencial de 2022.

Ciro Gomes em debate sobre os desafios políticos e econômicos do Brasil, na FMU, em 11 de novembro de 2018. Foto: Foto: Alex Silva/Estadão

A convergência entre ambos agora residiria na disposição de discutir alternativas de modelo econômico contra a atual crise socioeconômica e formas de proteção ao patrimônio nacional sem “entrega corrupta a barões locais e potências estrangeiras”.

“Ao redor desses valores, considero-me mais que autorizado, sinto-me obrigado a construir, no que estiver ao meu alcance, o diálogo possível com quem for necessário para proteger a nação brasileira”, escreveu Ciro.

O ex-ministro da Integração Nacional de Lula concluiu sua sequência com uma lista de exemplos de parcerias do PDT nesta eleição com outros partidos, sem citar o PT, como a feita em Franca (SP). “Na prática, lembro q meu partido, o PDT, construiu alianças preferenciais no campo q chamamos de centro-esquerda – cujo núcleo base é formado por PSB, PV, REDE, PDT- , mas tbm temos alianças, por exemplo, com PSD em BH, DEM em Salvador e São Luís e PSOL em Florianópolis e Belém”, citou Ciro.

Nesta semana, o marqueteiro João Santana, que foi responsável por campanhas eleitorais petistas, avaliou em entrevista ao Roda Viva que uma chapa de Ciro com Lula como seu vice seria “imbatível” em 2022.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Ciro GomesLulaeleições2022