Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Após pedido ao CNJ, Aliança pelo Brasil chama partidos de ‘autoritários’

Cassia Miranda

Exclusivo para assinantes

O Aliança pelo Brasil, partido que o presidente Jair Bolsonaro tenta criar, chamou de “autoritários” os cinco partidos que entraram com uma representação no Conselho Nacional de Justiça (CNJ) contra o que consideram uma relação “não republicana” entre a legenda e os cartórios.

Ao BRP, o secretário-geral do Aliança, Admar Gonzaga,  disse que o pedido dos cinco partidos é “descabido”. “Não tem problema nenhum ou ilegalidade (na relação do partido com os cartórios). É um pedido descabido de partidos autoritários que querem impedir a criação de outros que não sejam autoritários”, afirmou.

Na quarta-feira, 15, PCdoB, PDT, PT, PSOL e PSB entraram com um pedido de providência para que o corregedor nacional de Justiça, Humberto Martins, ordene aos Cartórios de Notas brasileiros, bem como aos Colégio Notarial do Brasil – Conselho Federal e Seccional de São Paulo, que “se abstenham de praticar atos voltados à campanha de apoiamento do partido Aliança pelo Brasil que não estejam no escopo de suas atribuições e que não tenham sido prestados a nenhuma outra agremiação em formação anteriormente”, diz o documento.

Em mensagem publicada no Twitter, a legenda afirmou que começou “a incomodar” por estar se tornando “realidade”. “Partidos autoritários querem ir contra a vontade do povo e tentam nos derrubar, mas verão com quantos aliados se faz um partido”.

 

O incômodo da oposição diz respeito às instruções presentes no site do Aliança, que orienta que apoiadores entreguem suas fichas de filiação nos cartórios, onde serão armazenadas até que um representante credenciado do partido recolha.

“A ilegalidade, evidenciada pela quebra do dever para com a moralidade administrativa, surge na oportunidade em que, para acelerar o processo de recolhimento das assinaturas de apoiamento, parte dos Cartórios de Notas, capitaneados pela sua entidade representativa, a saber o Colégio Notarial do Brasil, a partir de seu Conselho Federal e da seccional de São Paulo, ingressaram no projeto auxiliando a criação do Aliança pelo Brasil, a partir de ato partidário, político, parcial e de ofício”, diz a representação dos partidos.