Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Após vídeo, Maia ataca e Glenn rebate: ‘Não foi minha intenção’

Equipe BR Político

Um dia após ter gravado um vídeo em evento de apoio ao jornalista Glenn Greenwald, do site The Intercept Brasil, o presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), acusou o autor dos vazamentos de conversas que melindram o ministro Sergio Moro e procuradores da Lava Jato de “manipulação da verdade”. Para o deputado, Glenn “não tem o direito de interpretar o que eu disse de acordo com seus interesses”. Maia reforça que, na gravação exibida em evento na noite de terça, 30, defende “EXCLUSIVAMENTE a liberdade de imprensa e o direito ao sigilo da fonte garantidos na Constituição”. No vídeo, Maia afirma que “o sigilo da fonte é um direito democrático. Não é a favor do Glenn, mas é a favor da nossa liberdade de expressão”.

Mais cedo,  Glenn tuitou que Maia fez a gravação “defendendo nossa liberdade de expressão contra as ameaças (do presidente) Bolsonaro e implicando que foi (o ministro da Justiça e Segurança Pública) Sergio Moro quem cometeu crimes”. O jornalista respondeu dizendo que sua postagem não foi intencional, e que o que importa é a “veemente defesa da liberdade de imprensa feita pelo senhor”.

 

Assista ao vídeo:

Tudo o que sabemos sobre:

Rodrigo MaiaGlenn GreenwaldVaza Jato