Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Aras sobre Lava Jato: ‘É um modelo passivo de correções’

Equipe BR Político

Começou há pouco, nesta quarta-feira, 25, na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado a sabatina do subprocurador Augusto Aras ao cargo de Procurador-Geral da República. O indicado do presidente Jair Bolsonaro prometeu aos senadores uma “atuação firme, mas equilibrada” no cargo. Ao falar sobre a Lava Jato, Aras disse defender a operação, mas voltou a criticar aquilo que chama de “excessos”. Ele não citou quais seriam eles. “É um modelo passivo de correções”, disse. E completou aos parlamentares: “Espero que façamos juntos”, disse Aras.

O subprocurador também voltou a bater na tecla que defende de estender a Lava Jato para Estados e municípios. “O mérito individual dos procuradores deve sempre ser reconhecido, mas a confiança da sociedade deve se voltar às instituições em homenagem ao princípio da impessoalidade”, declarou Aras em sua fala inicial na sabatina realizada na Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) do Senado. Para ele as “boas práticas” da Lava Jato devem ser estendidas a todos os níveis de atuação do Ministério Público Federal, “aprimorando métodos”. A previsão da presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), é de que a sabatina dure em torno de cinco horas.