Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Aras vai rever ações de Dodge em pautas bolsonaristas?

Equipe BR Político

Dentro da Procuradoria-Geral da República (PGR) há a expectativa de que Augusto Aras, se aprovado em sabatina na CCJ do Senado na próxima quarta-feira, 25, reavalie ações e manifestações feitas por sua antecessora, Raquel Dodge, contra pautas importantes ao presidente Jair Bolsonaro. Na reta final de seu mandato, Dodge não poupou “flechadas” em direção ao Planalto.

Entre as medidas com risco de serem revistas estão, a chamada “Escola Sem Partido”, a ampliação do porte e da posse de armas, a redução de assentos em conselhos com poder de decisão e a vedação de novas demarcações de terras indígenas. À época em que foram tomadas, as iniciativas geraram uma rejeição imediata entre procuradores conservadores convidados por Aras para integrar seu gabinete na PGR.

De acordo com o Globo, Aras não terá poder para retirar as ações já remetidas ao STF, mas existe a possibilidade legal de que apresente novos entendimentos no curso dos processos. No Senado, o nome de Aras deve ser aprovado com tranquilidade, como você leu no BRP. Até agora, o subprocurador já se reuniu com 74 senadores em conversas individuais de cerca de 40 minutos. Cid Gomes (PDT-CE), Jader Barbalho (MDB-PA), Chico Rodrigues (DEM-RR), Styvenson Valentim (Podemos-RN), Marcio Bittar (MDB-AC) e Mara Gabrili (PSDB-SP) devem fechar a lista de reuniões a partir de amanhã. O senador Jorge Kajuru (Cidadania-GO) foi o único que se recusou a receber Aras.