Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Araújo usa celebração do fim do nazismo para enaltecer ‘sentimento nacional’

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

O ministro Ernesto Araújo não perdeu a chance de enaltecer o “sentimento nacional” e falar contra o comunismo, mesmo que a ocasião celebrasse os 75 anos da derrota do nazismo. Em reunião extraordinária do Conselho de Segurança da ONU, o chanceler brasileiro chamou o regime de Adolf Hitler de totalitário e destacou o trabalho das tropas brasileiras na Europa durante a 2ª Guerra. Mas, ao contrário de diversas lideranças europeias, que condenaram o nacionalismo, um dos pilares nazista, Araújo foi na direção oposta.

“Não vamos cair no erro de entrar numa era de crítica à soberania. Não vamos desprezar aqueles que lutam pelo sentimento nacional. Sem nações soberanas, não há liberdade”, disse. O comunismo, tido pelos nazistas como inimigo, também foi criticado por Araújo. “Outra forma de totalitarismo, depois da guerra, fez sombra sobre metade da humanidade. Essa forma, nas décadas seguintes, tentou manipular a ONU”, afirmou o chanceler, segundo o Uol.

Tudo o que sabemos sobre:

Ernesto AraújoNazismo