Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Área social será a mais atingida por novo corte no Orçamento

Equipe BR Político

Para cortar despesas, o governo vai reduzir principalmente os limites de gastos da área social. Os ministérios da Cidadania e Educação serão os mais atingidos com o novo bloqueio orçamentário. No ministério comandado por Osmar Terra, a redução será de R$ 619 milhões. A pasta é a responsável pelo pagamento Bolsa Família e o Benefício de Prestação Continuada (BPC). Não se sabe, ainda, qual setor vai sofrer os cortes, já que redução determinada pela área econômica é para o limite geral do ministério. Já no Ministério da Educação, o corte será de R$ 348 milhões. A pasta já havia perdido R$ 5,8 bilhões nos dois primeiros decretos do ano. O Ministério da Economia teve perda de R$ 282 milhões em seu limite orçamentário.

O decreto editado pelo governo na terça-feira, 30, ainda bloqueia recursos dos ministérios da Agricultura (R$ 54 milhões), Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (R$ 59 milhões), Economia (R$ 282 milhões), Meio Ambiente (R$ 10 milhões), Relações Exteriores (R$ 32 milhões), Saúde (R$ 6 milhões) e Turismo (R$ 100 milhões). No total, o novo bloqueio chega a R$ 1,4 bilhão.  A medida recompõe R$ 60 milhões ao Ministério de Infraestrutura e R$ 5 milhões ao Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos. Em setembro, uma nova avaliação será feita. Eventual descompasso na conta levará a novo corte, já que não há mais reserva emergencial para cobrir o rombo. No entanto, de acordo com o governo, o novo bloqueio pode ser suspenso, se houver uma melhora na economia, segundo a Folha.