Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Argentina e EUA podem tirar até 0,5% da alta do PIB brasileiro

Equipe BR Político

O risco de uma piora na crise argentina e a possibilidade de recessão da economia americana podem tirar 0,2% da previsão de alta do PIB brasileiro em 2019, e até 0,5% da estimativa de crescimento para 2020. A avaliação é da consultoria de análise econômica MB Associados, que aponta para uma tendência de retração no comércio internacional. O cenário argentino é o que oferece maior risco para o Brasil em 2019. “Se não houver nenhuma sinalização do futuro governo argentino de uma normalização, de uma busca por fazer reformas na economia, vamos ver a atividade do país vizinho afundar ainda mais do que imaginávamos, afugentando investimentos e consumo e, consequentemente, a importação de produtos brasileiros”, disse Sergio Vale, economista-chefe da MB Associados, em entrevista ao Valor.

Com relação aos Estados Unidos, as preocupações são a guerra comercial com a China, e o nível de endividamento das empresas não financeiras do país. A economia americana deve afetar mais o Brasil em 2020, segundo Vale. A avaliação de outros analistas, porém, é a de que as reformas estruturais em curso no País, como a reforma da Previdência, podem minimizar os efeitos externos, pois, na avaliação do governo, com essas mudanças, o Brasil tende a atrair investimentos.

Tudo o que sabemos sobre:

ArgentinaEUAComércio ExternoPIBEconomia