Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

As condições para a liberdade de Pezão

Equipe BR Político

O ex-governador do Rio Luiz Fernando Pezão deixou a Unidade Prisional da Polícia Militar, em Niterói, na noite de quarta-feira, 11. No lugar do cárcere, os ministros da Sexta Turma do Superior Tribunal de Justiça (STJ), responsáveis por ordenar a soltura, determinaram sete condições, chamadas de medidas cautelares, que o político deverá seguir para permanecer fora da cadeia.

Luiz Fernando Pezão. Foto: Dida Sampaio/Estadão

São elas: comparecer em juízo quando chamado; ser monitorado por tornozeleira eletrônica; proibição de contato com outros réus; proibição de ocupar cargos ou funções públicas; proibição de deixar o Rio de Janeiro sem autorização judicial; comunicar o juiz qualquer operação bancária superior a R$ 10 mil; e recolhimento domiciliar noturno entre 20h e 6h todos os dias.

Pezão estava preso desde novembro de 2018, quando ainda era governador. Ele é réu na Operação Lava Jato no Rio de Janeiro, acusado de integrar esquema de corrupção chefiado pelo também ex-governador Sérgio Cabral, de quem foi vice.