Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

‘Assessora fantasma’ de Flávio bateu ponto 3 vezes em 792 dias na Alerj

Equipe BR Político

Exclusivo para assinantes

Alvo de buscas e apreensões na manhã de ontem, quando Fabrício Queiroz foi preso em Atibaia (SP), a ex-assessora de Flávio Bolsonaro na Assembleia Legislativa do Rio (Alerj), Luiza Souza Paes, só compareceu ao Palácio Tiradentes em três ocasiões, e apenas para assinar o ponto, durante 792 dias, entre 2014 e 2017, segundo os investigadores.

O caso de Luiza reforça tese da Promotoria de que há um amplo esquema de funcionários-fantasmas empregados no antigo gabinete do filho do presidente Jair Bolsonaro, hoje senador. Esses servidores repassariam o dinheiro de seus salários por meio da “rachadinha” – o que configura peculato e, consequentemente, impulsionaria a lavagem de dinheiro e a formação de uma organização criminosa.

Por meio das mensagens entre Luiza e o pai, Fausto Antunes Paes, a investigação também aponta que ela combinou com o servidor da Alerj Matheus Azeredo Coutinho, que trabalha no Departamento de Pessoal, de assinar o ponto retroativo no dia 24 de janeiro de 2019. Com orientações de Queiroz, o contato se deu por intermédio do advogado Luis Gustavo Botto Maia e pela assessora Alessandra Esteves Marins, funcionária de Flávio, informa o Estadão.