Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Associação dos Diplomatas ‘respeita’ indicação de Eduardo

Equipe BR Político

A presidente da Associação dos Diplomatas do Brasil (ADB), Maria Celina de Azevedo Rodrigues, afirma que a entidade respeita a indicação do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP), filho do presidente Jair Bolsonaro, ao cargo de embaixador nos EUA, porém, lembra que é dever de um diplomata dialogar com todos os lados. “Tem de ouvir a opinião de todos, do mundo político, econômico, acadêmico, da mídia, dos meios diplomáticos de terceiros países, da sociedade civil e dos setores de oposição”.

A proximidade de Eduardo com a família do presidente americano Donald Trump, para Rodrigues, pode ou não ser um trunfo. “Uma coisa é você ser amigo, outra é você ter acesso no dia a dia, porque o presidente Trump é muito ocupado”. Sobre a afirmação de Bolsonaro de que os embaixadores brasileiros nos EUA não fizeram “nada de bom” desde 2013, a presidente da ADB ressalta que, graças ao trabalho diplomático, foram feitos acordos comerciais como o próprio acordo Mercosul-União Europeia. “O que ele entende por ‘nada de bom’? O trabalho do diplomata é quase silencioso, quieto, ele não sai gritando ‘eu fiz isso’, ‘eu fechei tal acordo’!”.