Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Associações pedem investigação de vazamento

Equipe BR Político

As associações Nacional dos Procuradores da República (ANPR) e a dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe) reagiram à divulgação de conversas entre o então juiz Sérgio Moro e procuradores da força-tarefa da Lava Jato em apoio aos pares. “Os dados utilizados pela reportagem, se confirmada a autenticidade, foram obtidos de forma criminosa, por meio da captação ilícita de conversas realizadas, violando os postulados do Estado Democrático de Direito. Por essa razão, são completamente nulos os efeitos jurídicos deles decorrentes, na forma do art. 5, incisos XII e LVI, da Constituição Federal e do art. 157 do Código de Processo Penal”, escreve a ANPR.

A Ajufe, por sua vez, informa que as informações divulgadas pelo site “precisam ser esclarecidas com maior profundidade, razão pela qual a Ajufe aguarda serenamente que o conteúdo do que foi noticiado e os vazamentos que lhe deram origem sejam devida e rigorosamente apurados”.

Tudo o que sabemos sobre:

AjufeANPR