Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Até ‘junho’ para aprovar crédito suplementar

Equipe BR Político

O secretário do Tesouro Nacional, Mansueto Almeida, alertou nesta quarta, 29, que o Congresso tem até meados de junho para aprovar o crédito suplementar se não quiser na zona de risco, informa o Estadão. A preocupação dele se soma à do ministro Paulo Guedes, que afirmou hoje que a negociação para a aprovação do crédito sem ferir a Constituição “embananou de novo”. Um dos impasses, além da agenda legislativa, é o valor a ser aprovado. O governo pede R$ 248,9 bilhões, mas o relator do crédito, deputado Hildo Rocha (MDB-MA), considera excessivo. Ao Valor, ele disse que esse valor deveria baixar para R$ 70 bilhões diante da contraproposta do governo de reduzir para R$ 146,7 bilhões.

“Se o crédito não for aprovado até 14, 15 ou 16 de junho, vai ficar difícil remanejar despesas”, afirmou o secretário. Ele ressaltou que o Plano Safra não pode sequer ser anunciado sem que o crédito já esteja garantido. O mesmo pode ocorrer com o BPC (benefício pago a idosos e pessoas com deficiência de baixa renda), que pode ter repasses interrompidos a partir de julho por falta de dinheiro no caixa. Caso a saída seja mesmo reduzir o valor do crédito, Mansueto reforçou que será preciso aprovar três projetos: o PLN 4, que é o do crédito suplementar, e outros dois para alterar o Orçamento e a Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO), garantindo mais flexibilidade ao remanejamento de recursos. Diante da gravidade do problema, Rocha prometeu convocar audiência extra para a próxima terça-feira, 4, na Comissão Mista de Orçamento.

 

Tudo o que sabemos sobre:

Mansueto Almeidacrédito suplementar