Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Para 54% dos brasileiros, corrupção aumentou no último ano

Equipe BR Político

Uma pesquisa realizada pelo movimento Transparência Internacional, entre janeiro e março deste ano, constatou que 54% dos brasileiros acreditam que a corrupção aumentou nos últimos 12 meses. O levantamento foi feito com mais de 17 mil cidadãos em 18 países da América Latina e Caribe. No Brasil, ele foi conduzido pelo Instituto Ipsos, entre fevereiro e abril, e mostra que a corrupção também é presente no cotidiano da população do País: 11% dos brasileiros já pagaram propinas ao utilizarem serviços públicos e cerca de 40% já receberam ofertas em troca de votos.

Enquanto a taxa de suborno geral (11%) é uma das menores da América Latina, a taxa de compra de votos (40%) é terceira maior da região, ficando atrás apenas da República Dominicana (46%) e do México (50%). Em geral, a pesquisa revela que a polícia é o serviço público que mais cobra suborno nos países examinados.

Outro fator apontado pela ONG como relacionado à corrupção é a disseminação de fake news. “Uma das causas da corrupção política é o abuso nas eleições, incluindo o financiamento fraudulento de partidos políticos, a compra de votos ou a disseminação de fake news durante as campanhas”, diz o documento. No Brasil, mais de três em quatro pessoas acham que fake news são disseminadas com frequência ou muita frequência.

O relatório também critica algumas ações do governo do presidente Jair Bolsonaro, que “sugerem que a confiança dos cidadãos na capacidade de o governo impedir e pôr um fim na corrupção pode retroceder em breve”.

“No início de 2019, as pessoas tinham expectativas muito altas para o desempenho (do presidente) Bolsonaro, com base em sua plataforma de campanha e, principalmente, sua retórica. Apesar dessas expectativas, nos últimos oito meses, o quadro anticorrupção do Brasil sofreu uma série de golpes”, diz o relatório da ONG.