Imagem da Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

por Vera Magalhães e Marcelo de Moraes

Avançar, mesmo que devagar

Equipe BR Político

A partir da declaração do ministro Paulo Guedes de que o novo conjunto de reformas enviado por ele ao Congresso não compõe um pacote, pois isso significaria um prato feito, e o que ele quer é contribuir com um conjunto sólido de melhorias para as instituições, Eurípedes Alcântara escreve em O Globo que o Brasil avançaria mais se houvesse mais “melhoristas” nos governos e nas empresas.

“Pode ter pouco poder mobilizador das massas, mas é extraordinária a ideia de avançar, mesmo que mais devagar, na direção certa, em especial para um país obcecado há décadas pelo pensamento mágico das falsas soluções do tipo “os militares vão consertar o Brasil” ou “um operário no poder é tudo o que precisamos”. As pessoas estão tão cansadas da manipulação dos poderosos que a realidade se tornou preferível às ilusões. Já tendo tido sua vez no poder no Brasil as repúblicas dos generais, dos tecnocratas, dos constitucionalistas de 1988, dos aberturistas da economia, dos socialistas tropicais, pode ter chegado a chance da república dos melhoristas mostrar que pode fazer o Estado brasileiro caber dentro do PIB. É essa a impressão mais forte que o ministro Paulo Guedes passou à opinião pública na terça-feira”, escreve.